• Frase da Semana :
  • -
  • Ao final, não esperem uma verdade absoluta, pois terei que infelizmente lhes informar que não há. - Amanda Lemos -

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

O que se passa neste coração ?





O que fazer quando o medo lhe impede de tentar ? Quando a esperança, sendo a ultima que deveria morrer, se torna, neste caso, uma das primeiras ? O que fazer quando nem os ossos do ofício sustentarem mais as teorias ? Ou até mesmo as lágrimas só servirem 
para filtrar as córneas ?



Acho que deve ser o momento, os medos , as angústias, as indecisões e os apertos no coração “pré- 15” ( refiro-me a épica passagem da menina-mocinha, dos 14 ao 15). 
Não sei se de tanto falarem e indagarem uma verdade absoluta que os quinze anos requer muitas pompas, imensidão de encantamento e maturidade estereotipada que me faz temer mais, quase fora do normal.

Não sei o que vestir, que maquiagem usar, que salto calçar, que sentimentos sentir, que lágrimas tentar disfarçar,  que amigos compartilhar este momento, de tantos, terei que selecionar uma lista específica. 

Não me gabo pelo número, confesso, tenho mais conhecidos que o homem que se diz nascido há dez mil anos atrás, no entanto, amigo para toda baboseira ser feita mesmo, para todo brigadeiro raspado de panela, para todos os  conselhos piores até que os meus,   ( eu não sei explicar, mas parece que temos essa noção de que tendo alguém que pense pior que você, lhe faz sentir melhor em uma situação ruim ( risos), bom..,. Minha melhor amiga sempre me diz isso.), estes sim, fora as gargalhadas descontroladas, as noites em claro com os amigos doidos e escandalosos ( admitam, esses  são os melhores!) estes,  eu ainda conto nos dedos . 

E Graças a Deus que é assim !, afinal detesto gente que se diz amigo de boa parte do mundo mas que se quer tem alguém em que se possa confiar de ligar as 03:00 dizendo que não consegue se quer pregar o olho e quer acabar com seus créditos de vez, 

Pobres seres, não tem, o que todo coração são e humilde deseja. 
Carinho, afeto, parceria , risos, pessoas doces, flores e amores.
Não sentem o princípio de toda universalidade humana, a amizade.

Discutir sobre ela é piegas demais para uma mente tão complicada quanto a minha e chega a ser monótono.
Aposto até que boa parte destes que me lêem sabem descrever em um papel todas as suas melhores amizades e melhores momentos vividos com estes.
Sabem porque sentem, porque precisam, porque ajudam, e porque estão perto destes quando ninguém mais estar.

Quando a tristeza insiste em apertar neste peito já muito dolorido mas que mesmo não precisando falar nada se sente tão bem por estar ao lado de quem lhe faz bem, de quem lhe faz sorrir, de quem  mesmo não lhe demonstrando em atos meramente concretos você tem a exatidão que de muitos  será esta pessoa que sempre estará ao seu lado, que fará você mudar às vezes de opinião, mas ao mesmo tempo querendo que você não mude nada do que é, nem se quer um mínimo fio de cabelo.
Não lhe exige, não lhe tortura.


Ampara, cuida, ama, protege.

As melhores amizades são aquelas construídas sem um pingo de obrigação, de exigência, ou muito menos de mera influencia de terceiros.
Ela simplesmente acontece, ou se deixa acontecer, não faz questão de milhões de chamadas recebidas em um celular, de cobranças a serem feitas, de milhares momentos a serem vividos (isso é com o tempo) . 

Ela aparece no momento que se mais precisa e, acreditem, no que mais dói e corrói,  pois é a partir daí que você tem a absoluta certeza em quem confiar, em quem contar o que você às vezes não teria coragem de contar a mais ninguém, e quem lhe faz sentir feliz e apreciado em uma conversa jogada fora.

Esta é a essência, que embora em poucos quase já quinze anos, me permitiram saber com clareza destes detalhes.


Ah...já ia me esquecendo,  como todos nós já passamos por muitos “ melhores amigos” que hoje você se quer oferece um “oi“ de vez em quando, ou liga para saber das novidades,
 Passam.

Eternizam na memória, não me permito dizer no coração, isso já seria exigir demais.

Não porque eram fracas ou sem sentido de existir, tinham e muito sentido sim, mas simplesmente tinham apenas naquele momento, e utópico presente eternizado.
Naquela inocência de criança, e na falta de maturidade suficiente em achar que tudo seria para sempre, que estas supostas amizades seriam seu alicerce de amanhã.


Confesso, 
este pensamento nos conforta, temporariamente, 
Porém,  quando nos damos por convencidos já viramos amigos até do porteiro da escola e o rotulamos também como 
“ melhor amigo”, como se isso devesse ser uma coisa que pudesse ser generalizada a mero acaso.


Não é !



Como se frases como “te amo” ou “Você é muito importante” pudessem ser ditas sem um mínimo de sinceridade ou sentimento puro, e que se resumisse apenas em número.
Ou seja, quem fala mais que ama, é porque ama mais.


Oh.. Grande blasfêmia!
Vida cruel !
Devo então ser fria por dentro e por fora caríssimos, pois não é qualquer pessoa que digo uma coisa dessas, não mesmo.


Se for me relembrar destes CÉLEBRES momentos, destes ditos cujos,poderei até contar nos dedos.


Desistam, nasci para poucos, e morro por quase ninguém.



Acabaram por fim, em  banalizar o essencial e se esqueceram do óbvio;
Acharam bonito amar pela metade e clichê magoar os corações femininos, e quem dirá, os masculinos também, é claro,.
( pois é, meninas malvadas!, (risos) ).
Acharam interessante terminar um relacionamento por orgulho e ter milhares de amigos em redes sociais.
Acharam “entusiasmante” ferir e consentir.
Acharam corajosos de abandonarem as bonecas e brinquedos precocemente e entrar de ressaca em festas do colegial e exagerarem na maquiagem.
Se acharam maduros, jovens velhos e  auto -suficientes.



Medíocres, acharam bonito amar, sem ao menos saberem seu real significado, e que ao final das contas nem gostados por alguém foram de fato.

Me perdoem se este meu linguajar tocou na ferida de algum ser vivo ou  pareceu muito “chulo” para os que me lêem,.
As palavras parecem furiosas e eufóricas e clamam para serem escritas, bom.. Faço o máximo que me é permitido.



Todavia, até um tempo atrás, admito, jurei para mim mesma nunca mais rotular as pessoas em melhores ou meros conhecidos.
Achei desnecessário, achei muito despejar confiança e afeto em uma pessoa só.

Pesos desnecessários, dores desnecessárias.

Achei que correria o risco de novamente perder as melhores amizades e das quais achava que seriam as mais sinceras.
 Achei que me machucaria pela segunda vez e repetiria o mesmo erro orgulhoso de antes.
Achei que voltaria ao pior momento até então vivido por mim, da qual perdia uma tia para uma doença sem perdão ou merecimento de existir, perdia os mais íntimos amigos por um erro exclusivamente meu, observava minha família quase desmoronar fatalmente em questão de dias, vi meus pais se humilharem e chegarem no limite extremo de paciência e respeito mútuo, vi meus pais a um passo de  assinarem o próprio divorcio em êxtase puro.


Vi o que rezo para nunca mais ver, ou passar.
Presenciar caos social e familiar.


Desde então nunca  mais, nem em pensamento, me permiti a despejar tanto em algumas pessoas ou se quer esperar o mínimo delas, 
Se isto se chamar amadurecimento, prefiro denominar de frieza, dor, medo. 


Frieza de um coração que cansado de sofrer  passou agora a ter medo de amar, ou confiar tanto novamente.


Porém, chega um dado momento da nossa vida que querendo ou não, arriscando-se ou estando com os pés no chão, quase grudados até,  pulando de um arranha- céus sem para-quedas ou se sujeitando aos maiores sofrimentos em prol de uma felicidade eufórica, desejada e estonteante,
 chega este momento que inevitavelmente você passa novamente a confiar , a se apegar, a compartilhar, a voltar a dormir não mais e simplesmente para descansar mas para sonhar, por saber que estes sonhos  podem um dia se tornarem realidade.
 Você aos poucos passa a construir este coração despedaçado e passa a preencher a mala com coisas novas, pessoas, sentimentos, planejamentos. 
Tudo novo, de novo.


Passa a voltar a viver, a acordar para a vida , a antes de esperar, fazer acontecer, a antes de amar alguém, se amar, a antes de esperar pelo futuro incerto, viver o presente.



Texto de Amanda Lemos


19 comentários:

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Em nós há sempre adolescentes ansiosos em busca do seu verdadeiro eu! Bjs

Grã disse...

Amanda,

Obrigado pela visita!
Gostei bastante de seu blog, temos muitos ídolos/exemplos em comum, passarei aqui mais vezes.

Bj

.Scarlat disse...

AAH que liiindo aqui!
Parabéeeens pelo blog e sucesso
Espero de ver lá
http://www.siteshoow.com/
Beijoos

Cristina Lira disse...

Olá Amanda! Tudo bem? Grata por sua visita no meu cantinho, seja bem vinda e fica a vontade. E quanto a mim, tbm vou ficando por aqui.
Belissima e rica postagem Amanda, teria tantos pontos pra comentar sobre ela, mas dois me chamaram mais a atenção, as angustias a que nosso coração se submete, principalmente nas fases de mudança, onde o mundo exige muito de nós, e nós acabamos por ser exigentes tbm conosco, o importante mesmo é ser feliz, sendo como se é, esquecendo as cores padronizadas, e os modelos a imitar, bom mesmo é a autenticidade do coração e dos gestos. E quanto aos amigos, os verdadeiros amigos, são preciosos apenas por existirem...

Bjos no seu coração minha amiga. Voltarei mais vezes. Tenha um bom fim de semana.

Uma Mulher Descolada disse...

Olá, Amanda!
Dei uma passada aqui e fiquei!
Gostei muito do seu blog, você compartilha muito do sentimento que exponho no meu blog também!
Se puder dá uma passadinha lá... Amarei ter a presença de mais uma descolada!

Estou te seguindo! ;)
Beijinhos descolados!

.:*Aline*:. disse...

Oi Amanda! Vim retribuir a sua visita. Já te sigo!
Bjim

Naia Mello disse...

Todo mundo têm problemas, todo mundo têm desentendimentos, fúria e raiva, e o melhor é colocar para fora como você fez.

Tatiana disse...

Olá Amanda, obrigada pelo carinho... adorei seu cantinho tb, viu? bem organizado e com palavras sinceras. confesso que só li esse primeiro. Mas tem a ver com a minha p´roxima viagem! Pq quando viajo,eu vivo, eu me desperto... humm medo e coragem andam juntos! bjks até mais

Maze Oliver disse...

Oi amiga, vim retribuir tua visita. Já havia tentado antes deixar-te um recado porém, meu PC estava ruim. Gostei imensamente de seus textos vou voltar muitas vezes para ler. Muita sensibilidade achei por aqui! Um grande abraço!

zierley jardim disse...

oi, amanda. muito obrigado pela visita. tbm gostei muito do seu blog. é leve mas tem muito de responsabilidade. parabéns! sigo, com certeza. ótimo restante de semana. luz!

Nayara .NY disse...

A vida nos prega muitas peças! Aqui, foi possível lembrar e quase vivenciar um pouquinho de alguns sentimentos e emoções!
Gostei muito do seu espaço!
Parabéns pelo blog!
Abraços!

Inaí Souza disse...

Amanda, que grata surpresa!
Obrigada pela visita ao meu blog e por ter me convidado a vir aqui. Apesar da pouca idade (o que não é parâmetro para avaliar maturidade), você me parece muito sensata em suas palavras.
Gostei muito da maneira como você estrutura o seu pensamento e devo dizer que escreves muito bem.
É certo que vou te seguir!

P.S: daqui a alguns anos, quando eu resolver ter filhos, espero que aos quinze eles tenham essa sua maturidade em encarar a vida.

Parabéns!

Tata Serrano disse...

Amanda,

você escreve MUITO! me identifiquei muito com o seu estilo!

Parabéns! adorei, adorei! estou seguindo com meus dois profiles! =)

beijos beijos!

Bruníssima disse...

Amanda, que delícia ler o seu blog. Você é a legítima pensadora! rs...
Obrigada pela visita ao meu blog, minhas brunisses estão em falta, mas logo estarei voltando à blogosfera!

Visite-me!
Um beijo grande,

Kinha disse...

cOLOCAR PRA FORA É MUITO BOM.

@amaliaprade disse...

Lindas palavras, sinceras. Parabéns pelo blog! ;))

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Gosto de palavras
que conversam conosco,
como se fossem
nascidas de nós...

Lindo e verdadeiro texto.

Viver é sentir os sonhos
com o coração.

Amapola disse...

Bom dia, querida amiga Amanda.

O importante é valorizar cada momento, por menor que possa parecer.
A rotina é o templo dos grandes eventos.

Você é ainda menina, mas fala como gente muito vivida.
Que Deus ilumine todos os seus projetos.

Beijos.

Amapola disse...

Gostei muito do seu blog e estou lhe seguindo.

Maria Auxiliadora (Amapola)

Nosso Livro Publicado !

Talvez também se interesse por.....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
















Aqui não se conta tudo, porque o tudo é um oco, é um nada. Se conta somente, e o somente não necessita de explicação.

Amanda Lemos