• Frase da Semana :
  • -
  • Ao final, não esperem uma verdade absoluta, pois terei que infelizmente lhes informar que não há. - Amanda Lemos -

domingo, 8 de abril de 2012

Entenda que não basta entender.




Para você também que possui um curativo no coração, e um Band Aid    nas feridas mais internas e que não entende o quão se torna difícil uma convivência..., bate aqui,  não fazemos questão  nenhuma de compreensão. 

Até que ponto os nossos problemas ganham dimensões que nos limitam de viver o que há para se viver ?
Até que ponto, você, meu caro amigo, despeja toda sua felicidade em um outro alguém ?
Até que ponto somos dependentes de um sorriso alheio para propiciar o nosso ? ...



Eu andei pensando ultimamente o quão o tempo é influenciador em nossas vidas. 
Nos faz descrer do impossível, abandonar uma ilusão, disfarçar feridas, secar curativos.

Há algum tempo atrás, esbanjava felicidade, e não uma felicidade qualquer, mas uma daquelas bem autêntica de, quem sorri até com os olhos , de quem ama só por amar, e de quem arrisca achando que a vida está para a brincadeira.

Há algum tempo atrás...
Eu ainda cultivava laços que nunca pensei que o nó iria se afrouxar, ou que uma dor tomaria tanto espaço nessa mente insana que só lhe cabiam palavras.

Há algum tempo atrás eu convivia com poucos, mas essenciais, admito.
Não que deseje descarregar toda culpa nesses novos relacionamentos formados. Turbilhões de mensagens e ligações. Furtivas amizades feitas,... 
Não que seja isso, porém, em que medida, somos capazes de ganhar algo e no entanto também cultivar o que se tinha ? Em que ponto não pecamos em oferecer carinho de mais há uns e de menos aos que mais precisam ? Em que ponto podemos amar não um, mas dois corações ?

Não disseram que relacionar , conviver, despertar emoção em alguém, seria fácil.
E não é.
Pessoas são difíceis.
Não se pode confiar no que um sorriso diz por imaginar que há um milhão de lágrimas por trás. 
Não se pode entrelaçar os dedos, por medo de se gostar demais, pois há certas coisas que fazendo juntos não teria como não se apaixonar. 
Não se pode mais estar bem estando mal, ou disfarçar problema com bebida.
Não se pode mais amar sem medo de correspondência.

Não.

Não se pode.

Não se pode mais apontar a flecha para um rumo sem temer suas conseqüências.

Nesse caos de não poder, como, me expliquem, suplico, ...
como conviver ? 

Soa muito mais fácil descrever tantas perguntas do que trazer respostas.
Não há resposta para tudo.

Uma alma tão intensa como a minha nunca se contentou com metades ou com algo que despejasse o morno ou o sublime. 

É tão mais fácil viver em equilíbrio, dosar a dose, ou não respirar risco algum.

Sim, é mais fácil.

Mas graças a Deus, nunca me permiti ao mas fácil, nem dos amores mais fáceis tive vontade, sempre quis dar a cara a tapa e ansiar por aquilo que nunca foi possível , na teoria.
Nem da escrita mais fácil, carregada de palavras clichês, ou uma obviedade melancólica.
Nem se quer busquei a facilidade de vender simpática ao mundo inteiro, mas sim me doar à uns poucos e bons.

Mas foi nessa de sempre querer o impossível e , muitas vezes, o difícil, que caí em erro próprio. 
Não há como deixar que a loucura escorra pelas veias apenas em momentos convenientes, 
que seja louca, mas louca por inteiro.
 E amar não seria diferente.

Tendo uma mente tão alucinada..., gostar, criar afeto, se torna tão excruciante, como alguém que não demonstra falta de carinho mas ser a pessoa que mais precisa. 
Ser intensa nos sentimentos, ações e sempre imaginar milhares e milhares de coisas antes de dormir, se é que consegue fechar os olhos e descansar. 
Como quem pensa e “trepensa” no outro mas que por um orgulho fútil não demonstra, ou se demonstra , demonstra por base de uma frieza incalculável .

Eu não entendo.

Minto.

Por enquanto, não faço nenhuma questão de entendimento, e peço que façam o mesmo. 
Entendam apenas o que é cabível , do resto, quando fugirem todas as compreensões , não exijam entendimento algum.
Não deixem que o entender demasiado lhes impeça de sentir.





Texto de Amanda Lemos

7 comentários:

Apenas Eu disse...

Estou nessa com vc.... Toque aqui!!!
Texto magnífico, palavras, frases, contextos... Tudo perfeito.

Parabens

Marcelo Tirote disse...

Amo seus posts

Anny Karoliny disse...

Perfeito!
Creio eu, que a maioria das pessoas quando escreve um texto não imagina o quanto aquilo pode atingir alguém, e digo agora, vc não tem idéia do quanto essas suas palavras mexeram comigo. Foi como se vc descrevesse minha vida a cada parágrafo.
Lindolindolindo.
Vc tem o dom.

Anônimo disse...

Gostei muito!
As vezes não tem resposta, e a gente não pode se prender a isso... Afinal, não é um problema de matemática. Existem escolhas e pessoas envolvidas.
Ah, tenho que ler esse texto novamente... XD
/Fabiana Yuri

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida Amanda
O final foi muito feliz: jamais antepor nada ao sentir salvo que bloqueie demasiadamente a razão...
Passo pra felicitar os amigos pelo período pascal e desejar-lhe sucesso e alegria sem fim...
Bjm festivo de paz

Leila disse...

Amanda gostei, você escreve muito bem!!! estou te seguindo faz uma visitinha no meu Blog
http://laurarandrade.blogspot.com.br
beijo

Anônimo disse...

Sabe por que eu disse que teria que ler novamente? Por que por mais que eu pudesse ler e entender a coerência do seu texto, não conseguiria entender a essência. Porque a essência é intensa, não se pode prender; apenas palavras não conseguem descrever, porque como na física, a essência é uma “força dissipativa”.
Consigo sentir que a cada palavra você expôs uma forte emoção e que a cada frase, detalhes pequenos fizeram toda diferença. E eu sei como é isso. Sei como é escrever um texto “enorme”, um texto que é tudo: tudo o que você tem e sente no âmago da sua alma, tudo o que você guardou e descobriu, tudo o que para você é uma enorme e única solução para o vazio ou ansiedade que te atormenta, mas o “tudo” que ocupa alguns poucos parágrafos e não um livro.
Seu texto é muito denso, tente abri-lo mais, tente explicá-lo melhor, porque a intenção é maravilhosa e incrível, mas o entendimento real fica para os poucos! ;)
Fico admirada com suas ideias todas as vezes que leio algum texto seu. Este texto descreve uma característica que talvez apenas os mais racionais tenham, que é a percepção do descontrole sobre uma situação onde não se pode haver controle. Porque flui, e, inevitavelmente, o desejo, o amor e a dependência se tornam o óbvio. E não adianta querer prender, está realmente além da nossa compreensão. *estou muito feliz com isso*
Fabiana Yuri Kamino Yamamoto”

Nosso Livro Publicado !

Talvez também se interesse por.....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
















Aqui não se conta tudo, porque o tudo é um oco, é um nada. Se conta somente, e o somente não necessita de explicação.

Amanda Lemos